Bacia do rio Zêzere

Idanha_phixr

O rio Zêzere é o mais importante afluente da margem direita do Tejo em território português. Nasce na serra da Estrela e após cerca de 200Km junta-se ao Tejo próximo de Constância.

Bacia do Zêzere'
Mapa da bacia do rio Zêzere

No Zêzere podemos encontrar a ponte de Bouçã abaixo da barragem do mesmo nome.

Ponte de Bouçã
1-Ponte de Bouçã

Parcialmente submersa pela albufeira da barragem da Bouçã e logo abaixo da barragem de Cabril fica a ponte filipina de Cabril. Actualmente, um enorme viaduto do IC8 muitos metros acima retira algum do encanto da zona.

Ponte de Cabril
2-Ponte de Cabril
Ponte de Cabril
2-Ponte de Cabril
Ponte de Cabril
2-Ponte de Cabril

Mais a montante podemos ver a ponte de Cambas.

Ponte de Cambas
3-Ponte de Cambas

Já a Leste da Serra da Estrela, próximo de Tortosendo (Covilhã), podemos ver a ponte Pedrinha.

Ponte Pedrinha
4-Ponte Pedrinha

De referir, ainda, a ponte Nova, na freguesia de Teixoso, a ponte de Belmonte e a ponte filipina de Valhelhas.

Ponte Nova
5-Ponte Nova
Ponte de Belmonte
6-Ponte de Belmonte
Ponte de Valhelhas
7-Ponte de Valhelhas

O rio Nabão, nascido próximo de Ansião, desagua na margem direita do Zêzere. Em Matrena é atravessada por uma ponte junto à fábrica de papel. Em S. Lourenço, às portas de Tomar, encontramos a ponte-açude das Ferrarias (info). Ao passar Tomar é atravessado pela sua ponte velha (info). Mais a montante há uma ponte em Prado, junto da fábrica do papel. Conforme nos aproximamos de Ansião podemos ver a ponte de Marquinho, a ponte dos Nogueiros, a ponte Galiz e, na vila, a ponte da Cal.

Ponte de Matrena
8-Ponte de Matrena
Ponte-açude das Ferrarias
9-Ponte-açude das Ferrarias
Ponte Velha de Tomar
10-Ponte Velha de Tomar
Ponte de Pedreira
11-Ponte de Prado
Ponte de Marquinho
12-Ponte de Marquinho
Ponte de Nogueiros
13-Ponte de Nogueiros
Ponte Galiz
14-Ponte Galiz
Ponte da Cal
15-Ponte da Cal

Os afluentes do rio Nabão incluem a ribeira da Lousã, atravessada pela ponte da Guerreira (info) e pela ponte do Chocapalhas (info), enquanto o seu afluente, o ribeiro de Algaz, é atravessado pela ponte do Casal do Alecrim (info). Incluem, também, a ribeira da Bezelga que recebe as águas da ribeira do Choupal, onde podemos ver a ponte dos Frades (dentro dos terrenos da Quinta da Anunciada Velha- info), e esta a de Carregueiros, atravessada por uma pequenina ponte em Carregueiros e outra ponte mais acima em Vale de Carvalho. Uma linha de água que drena para a ribeira de Carregueiros é cruzada por uma ponte em Casal de Sobreiro.

Ponte da Guerreira
16-Ponte da Guerreira
Ponte do Chocapalhas
17-Ponte do Chocapalhas
Ponte de Casal do Alecrim
18-Ponte de Casal do Alecrim
Ponte dos Frades
19-Ponte dos Frades
Ponte de Carregueiros
20-Ponte de Carregueiros
Ponte de Vale de Carvalho
21-Ponte de Vale de Carvalho
Ponte em Casal do Sobreiro
22-Ponte em Casal do Sobreiro

Mais a montante, o Nabão recebe a ribeira do Tripeiro, atravessada pela ponte de Peniche (info) e este a ribeira de Casais, atravessada pela ponte de Casais (info).

Ponte de Peniche
23-Ponte de Peniche
Ponte dos Casais
24-Ponte dos Casais

Um dos afluentes do Nabão recebe múltiplas designações ao longo do seu curso, ditadas pela localidades que atravessa: inicialmente é designada ribeira da Milheira e é nesse troço atravessada pela ponte de Póvoa (info); seguem-se-lhe as designações de ribeira de Fervença, ribeira do Chão das Eiras e, finalmente, ribeira das Ceras. É no troço denominado de Fervença que encontramos um pequeno arco na margem, provavelmente ultrapassando uma pequena linha de água e, mais acima, a ponte do Casal Velho. No último troço (ribª de Ceras) podemos encontrar uma ponte antiga (info) profundamente alterada e escondida debaixo de um tabuleiro de cimento e alcatrão.

Ponte de Póvoa
25-Ponte de Póvoa
Arco ma margem da ribeira de Fervença
26-Arco na margem da ribeira de Fervença
Ponte do Casal Velho, Fervença
27-Ponte do Casal Velho, Fervença
Ponte de Ceras
28-Ponte de Ceras

O Nabão recebe, também, o ribeiro de Seiça, vindo dos lados de Ourém. Neste ribeiro encontramos várias pontes: uma ponte em Sabacheira (info), a ponte de Seiça (info), uma ponte em Coroados, a ponte dos Namorados, em Ourém, uma ponte na ribeira do Cuvo e outras duas pontes nos ribeiros que originam o ribeiro do Cuvo: uma no ribeiro do Escandarão conhecida como ponte do Porto Carro (info) e outra no ribeiro das Olheiras conhecida como ponte dos Talhinhos, próximas de Mourã. Ainda temos a ponte de Atouguia (info), num afluente, a ribeira de Alvega.

Ponte de Sabacheira
29-Ponte de Sabacheira
Ponte de Seiça
30-Ponte de Seiça
Ponte de Seiça
30-Ponte de Seiça
Ponte em Coroados
31-Ponte em Coroados
Ponte dos Namorados
32-Ponte dos Namorados
A ponte dos Namorados, recentemente recuperada e prontamente vandalizada
32-A ponte dos Namorados, recentemente recuperada e prontamente vandalizada
Ponte em Atouguia
33-Ponte na ribeira do Cuvo
Ponte do Porto do Carro
34-Ponte do Porto do Carro
Ponte dos Talhinhos
35-Ponte dos Talhinhos
Ponte de Atouguia
36-Ponte de Atouguia

Finalmente menciono a ribeira das Quebradas onde podemos admirar a ponte de Quebrada.

Ponte de Quebrada
37-Ponte de Quebrada
Ponte de Quebrada
37-Ponte de Quebrada

A ribeira de Codes desagua já em plena albufeira da barragem de Castelo de Bode. Uma antiga ponte (info) que a atravessava serviria, conforme informação no local, a antiga N2. Hoje, o que dela resta está engolido pelo mato e é impossível visualizar o antigo trajecto da N2.

Ruína da ponte de Codes: aluimento do tabuleiro e do paredão
38-Ruína da ponte de Codes: aluimento do tabuleiro e do paredão que o sustinha
Ponte de Codes
38-Ponte de Codes
Arco preenchido na ponte de Codes
38-Arco preenchido na ponte de Codes
Paredão melhor conservado da ponte de Codes
38-Paredão melhor conservado da ponte de Codes

É nas ribeiras de Isna e Sertã e seus afluentes que vamos encontrar as pontes mais interessantes da zona. Na primeira podemos ver a ponte da Atalaia (Palhais), a ponte do Charco, a ponte da Tamolha, a ponte dos Três Concelhos (info), a ponte de Rafael, a ponte do Malhadal e a ponte do Pedintal.

Ponte da Atalaia
39-Ponte da Atalaia
Ponte das Charcas
40-Ponte do Charco
Ponte do Charco
40-Ponte do Charco
Ponte da Tamolha
41-Ponte da Tamolha
Ponte dos Três Concelhos
42-Ponte dos Três Concelhos
Ponte de Rafael
43-Ponte de Rafael
Ponte do Malhadal
44-Ponte do Malhadal
Ponte do Pedintal
45-Ponte do Pedintal

Nos afluentes da ribeira de Isna vamos poder ver a ponte do Conqueiro e a ponte do Lagar Velho (na ribeira do Vilar), a ponte das Cortelhas (na ribeira das Cortelhas que se continua na anterior), a ponte da Cova do Moinho (na ribeira da Tamolha) e a ponte de Vale da Urra (na ribeira de Bostelim) (info).

Ponte do Conqueiro
46-Ponte do Conqueiro
Ponte do Lagar Velho
47-Ponte do Lagar Velho
Ponte das Cortelhas
48-Ponte das Cortelhas
Ponte da Cova do Moinho
49-Ponte da Cova do Moinho
Ponte da Cova do Moinho
49-Ponte da Cova do Moinho
Ponte de Vale da Urra
50-Ponte de Vale da Urra

Na ribeira da Sertã iremos encontrar a ponte da Rolã (ou ponte das Cabras), a ponte da Carvalha, a ponte de Troviscal e a ponte de Oleiros.

Ponte da Rolã
51-Ponte da Rolã
Ponte da Carvalha
52-Ponte da Carvalha
Ponte de Troviscal
53-Ponte de Troviscal
Ponte de Oleiros
54-Ponte de Oleiros

Na vila da Sertã, um pequeno afluente é atravessado por uma pequena ponte, muito próximo da ponte da Carvalha.

Ponte Pequena, Carvalha_phixr
55-Ponte na Sertã

Na ribeira de Amioso podemos ver a ponte do Lagar e uma outra ponte a montante.

Ponte do Lagar
56-Ponte do Lagar
Ponte sobre a ribeira de Amioso
57-Ponte sobre a ribeira de Amioso

O último afluente da ribeira da Sertã a ser referido é a ribeira Pequena onde encontramos a ponte de Roqueirinho.

Ponte de Roqueirinho
58-Ponte de Roqueirinho

Conforme seguimos para montante, o Zêzere recebe numerosas ribeiras. A ribeira de Pera junta-se ao Zêzere a jusante da ponte filipina e é atravessada, entre Sarnadas e Coentral, em plena serra da Lousã, pela Ponte de Pedra (ou Ponte das Cabras, info). A ribeira dos Porteleiros, na outra margem do Zêzere, é atravessada por uma ponte em Pedrógão Pequeno.

IMG_2777_phixr
Ponte de Pedra
Ponte em Pedrógão Pequeno
59-Ponte em Pedrógão Pequeno

A ribeira da Arronhela recebe as águas da ribeira do Bravo que é atravessada pela ponte do Moinho.

Ponte do Moinho
60-Ponte do Moinho

A ponte de Alvares atravessa a ribeira do Sinhel, um afluente do rio Unhais.

Ponte de Alvares
61-Ponte de Alvares

A ponte de Álvaro atravessa a ribeira de Alvéolos, um pequeno tributário do Zêzere. Esta pequena ponte está agora coberta por uma estrutura mais recente, de maior porte.

Ponte de Álvaro
62-Ponte de Álvaro
Ponte de Álvaro
62-Ponte de Álvaro

Sobre a ribeira de Sendinho e integrando a Grande Rota do Zêzere, está a ponte das Felgueiras, construída em período de domínio filipino.

Ponte das Felgueiras
63-Ponte das Felgueiras

Sobre a ribeira de Porsim encontramos duas pontes em Sobral de S. Miguel. Uma ponte tem dois arcos e a outra ponte tem um arco. Não sei avaliar do seu valor histórico mas a referência a estas estruturas é relevante dado o encanto da pequena povoação, com as suas casas em xisto.

Ponte em Sobral de S. Miguel
64-Ponte em Sobral de S. Miguel
Ponte em Sobral de S. Miguel
65-Ponte em Sobral de S. Miguel

Outro afluente do Zêzere é a ribeira de Paúl, a qual resulta da junção das ribeiras de Unhais da Serra e de Cortes. A ribeira de Casegas junta-se-lhe a jusante.

Sobre a ribeira em Paul podemos ver uma ponte de pedra.

Ponte de Paul
66-Ponte de Paul

Sobre a ribeira de Casegas podemos ver a ponte de Casegas.

Ponte de Casegas
67-Ponte de Casegas

A ponte de Unhais da Serra atravessa a ribeira com o mesmo nome.

Ponte de Unhais da Serra
68-Ponte de Unhais da Serra

Na ribeira de Cortes podemos encontrar uma ponte junto a Cortes do Meio. O tabuleiro deverá ter sido em madeira noutros tempos mas agora usa outros materiais.

Ponte em Cortes do Meio
69-Ponte em Cortes do Meio

Mais a montante, em Bouça, há uma ponte com tabuleiro de betão mas cujos arranques em pedra tosca e as calçadas que lhe dão acesso sugerem antiguidade nas suas origens.

Ponte de Bouça
70-Ponte de Bouça

A ribeira de Meimoa desagua no Zêzere em frente a Vales do Rio. No seu curso vamos encontrar a ponte de Peroviseu (ou ponte de Moinhos), a ponte da Capinha e a ponte de Meimoa (info).

Ponte de Peroviseu
71-Ponte de Peroviseu
Ponte de Capinha
72-Ponte de Capinha
Ponte de Meimoa
73-Ponte de Meimoa

Um modesto afluente do Zêzere é a ribeira de Boidobra que corre próximo da Covilhã. Nela encontramos uma ponte romana.

Ponte de Boidobra
74-Ponte de Boidobra

Mais um afluente do Zêzere a referir é a ribeira de Caria. Nela vemos a ponte de Santa Ana e o pontão da Laje do Freixo. Num afluente, a ribeira das Inguias, temos a ponte de S. Sebastião.

Ponte de Santa Ana
75-Ponte de Santa Ana
Pontão da Laje do Freixo
76-Pontão da Laje do Freixo
Ponte de S. Sebastião
77-Ponte de S. Sebastião

Finalmente uma referência à ribeira da Gaia. Esta recebe as águas da ribeira do Vale e é num dos seus tributários que podemos ver a ponte de Benespera (ou ponte da ribeira da Fonte Boa-info).

Ponte de Benespera
78-Ponte de Benespera
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s